terça-feira, 31 de maio de 2011

Edward Mordake – A incrível história de um homem de 2 faces

Dentro da história das deformidades humanas nos deparamos com casos assustadores e, ao mesmo tempo tristes, de pessoas que nasceram com os mais inusitados tipos de deformidades. Em tempos antigos, eram muito comum esses seres humanos pararem em circos de Freak Show para se tornarem atrações bizarras para um público não menos bizarro por esquecerem que um ser humano com alguma deficiência, seja ela grave ou não, continua sendo um ser humano, com sentimentos, anseios, medos e desejos. Dentre essas pessoas que nasceram com alguma diferença, uma história chama atenção, pela raridade do caso e pela triste história de vida: é o caso de Edward Mordake (ou Mordrake, dependendo da fonte de pesquisa).


Edward Mordake (Fonte: strangebrains2)

A verdadeira história desse sujeito tem sido perdida no decorrer do tempo. Seu caso inusitado ocorreu no início da história médica e é referenciado apenas em relatos de médicos. Na verdade, a história de sua vida tornou-se tão confusa com o passar dos anos que não há uma data sólida de seu nascimento ou morte, nem fontes concretas para os pesquisadores modernos. A única prova concreta de sua existência é uma foto onde as duas faces aparecem.


(Fonte: bretticus)

Em todas as fontes de pesquisa a história sempre começa da mesma maneira. Diz-se que Edward era herdeiro de uma das famílias mais nobres da Inglaterra, no entanto ele nunca reinvindicou o título de nobreza devido à morte precoce. Era considerado um homem brilhante e encantador - um erudito, um músico e um jovem na posse da graça profunda. Diziam também que ele era muito bonito quando visto de frente, entretanto, contrastando com essa beleza, existia na parte de trás da cabeça uma outra face feia que o assombrava constantemente.


Peça teatral baseada na história de Mordake (Fonte: jmosbaugh)

Em algumas versões da história, o segundo rosto de Edward seria o de uma menina bonita. Porém esta seria uma impossibildiade já que todos o gêmeos parasitas são do mesmo sexo e, além disso, a foto dele deixava claro que a segunda face também era masculina. Essa face, por sua vez, ocupava uma parte menor do crânio e exibia certos sinais de inteligência, contudo, dizia-se que essa face apresentava intenções bastante malignas. Então o próprio Mordake relatava que havia situações em que ele estava triste e sua face de trás ficava rindo como se estivesse zombando de seus sentimentos, ou que quando Mordake chorava, sua face de trás sorria em tom de desprezo. Foi dito também que seus olhos acompanhavam qualquer movimento ao redor e seus lábios constantemente faziam algaravia e sussurros assustadores. Embora nenhuma voz sussurrada fosse compreensível, Edward jurou que muitas vezes ele seria mantido acordado durante a noite por conta dos sussurros de ódio de sua face gêmea maligna (como gostava de chamá-la) e dos murmúrios que só poderiam ser ditos no inferno.


(Fonte: good-times.webshorts)

Os relatos sobre a vida de Mordake apontam que o mesmo tentou suicídio diversas vezes, depois que Manvers e Treadwell, seus médicos, desistiram de fazer a remoção cirúrgica de sua segunda face. Por conta disso, certo dia ele teria tido acesso a um veneno o qual usou para cometer suicídio aos 23 anos de idade. Em outra versão da história ele teria dado um tiro entre os olhos de seu irmão gêmeo. Em ambas as versões, Edward deixava para trás uma carta pedindo que a "face demoníaca" fosse destruída de sua cabeça, antes de seu sepultamento, para que ela não continuasse com seus terríveis sussurros em seu túmulo. Ele viveu em completo isolamento, recusando-se às visitas, até mesmo, dos membros da sua própria família, em virtude do receio de ser visto com uma face atrás da cabeça e do preconceito que sofreria por parte de todos. Ainda na carta, ele queria que fosse enterrado em um lugar deserto, sem pedra ou legenda para marcar seu túmulo.


Uma réplica de cera de Edward Mordake (Fonte: flickbr)

As faltas de evidências nos fazem pensar: será que essa história é mesmo real? Em 1896, o livro "Anomalies and Curiosities of Medicine", de George M. Gould e Walter L. Pyle, mencionava uma versão da história de Edward Mordake que ficou muito famosa na época e acabou virando referência para vários textos, peças teatrais e até mesmo para uma música de Tom Waits "Poor Edward" que usou a história do 'homem de duas faces' como inspiração. No entanto, a história de Mordake foi considerada falsa durante algum tempo, por ser considerada excessivamente fantástica para se acreditar e, obviamente, por não fazer muito sentido do ponto de vista médico, em alguns momentos. As variadas versões da história e a carência de fontes confiáveis também diminuem a credibilidade da existência do Mordake e seu drama. Entretanto a única coisa que persiste é a existência de uma foto sua que comprova que ele realmente existiu, mas quando exatamente, ninguém sabe.

sábado, 28 de maio de 2011

This Man ─ Um misterioso invasor de sonhos

Algum de vocês já sonhou com essa figura aí embaixo? Não? Mas várias pessoas em diferentes lugares do mundo dizem que já.


(Fonte:cherryplus)


Em janeiro de 2006, em Nova York, a paciente de um conhecido psiquiatra desenha o rosto de um homem que tem, repetidas vezes, aparecido em seus sonhos. Em mais de uma ocasião, o tal homem falou sobre coisas da vida privada daquela mulher. Ela nunca tinha visto aquele homem, aquele rosto. O retrato ficou esquecido na escrivaninha do médico por alguns dias até que outro paciente notou o desenho e reconheceu o rosto. Disse que aquele homem aparecia freqüentemente em seus sonhos; e também este paciente, afirmava que não conhecia aquela pessoa.

Diversas descrições do mesmo homem feitas por diferentes pessoas (Fonte: sofadasala)



Era algo de curioso. O psiquiatra decidiu fazer cópias do retrato e enviá-las para vários de seus colegas de profissão. Os sonhos recorrentes são comuns a muita gente. São sonhos que se repetem. Em poucos meses, quatro pacientes reconheceram o rosto do desconhecido. Todos o tinham visto; em sonhos; e todos se referiam a ele como Esse Homem.

Desde a primeira divulgação, mais de duas mil pessoas, procedentes de diferentes países, reconheceram o homem porque ele esteve em seus sonhos: em Los Angeles, Berlim, São Paulo, Teerã, Beijing, Roma, Barcelona, Estocolmo, Paris, Nova Delhi, Moscou etc.. Até agora [em 2009], nenhuma relação foi encontrada entre os sonhadores. Abaixo, diferentes versões do mesmo rosto, o rosto do Invasor de Sonhos.


(Fonte: colunistas.ig)



Teorias

Algumas teorias têm sido elaboradas para tentar explicar as misteriosas aparições desse homem que entra nos sonhos das pessoas sem ser convidado pelas lembranças ou por qualquer consciência remota.

Teoria do Arquétipo ─ Fundamenta-se nas idéias do psicanalista K. G. Jung, This man seria uma imagem arquetípica, modelo, pertencente ao inconsciente coletivo que pode aparecer em épocas de sofrimento ou dificuldade [problemas emocionais, mudanças dramáticas na vida, circunstâncias estressantes], especialmente nas pessoas mais sensíveis.

Teoria Religiosa ─ Para alguns, this man é a imagem do Criador [!?] ou uma maneira de Deus se manifestar [!? com essa cara?]. Os sonhadores que acreditam nesta idéia dão grande importância ao que o desconhecido diz em seus sonhos, como se tais palavras fossem conselhos, preceitos ou profecias divinas.

Teoria do Invasor de Sonhos ─ Também chamada de Teoria do surfista de sonhos. This man seria, então, uma pessoa real que tem o poder [ou faculdade] de entrar nos sonhos das pessoas por meio de alguma habilidade psíquica específica. Sua aparência corresponde, portanto, ao que ele é na vida real [no estado de vigília]. Outros porém, acham que ele pode ser completamente diferente em vigília alterando sua aparência durante a inconsciência do Ego durante o sono. Esta teoria também considera a possibilidade de que por trás do fenômeno This Man existe um plano [conspiração] desenvolvido por alguma entidade ou grupo clandestino.

Teoria da Imitação ─ Esta teoria psico-sociológica propõe que o fenômeno foi produzido casualmente e desenvolveu-se progressivamente, por imitação. O desenho que ficou na mesa do psiquiatra em Nova Iorque, foi visto mas não notado, percebido conscientemente por vários pacientes que, posteriormente, sonharam com o rosto. Ao distribuir o retrato entre vários profissionais do mundo, o psiquiatra causou uma espécie de contaminação do inconsciente de outras pessoas que freqüentavam consultórios psiquiátricos. Com a divulgação do fato via internet, outros mais, não pacientes de problemas psiquiátricos também sonharam com o homem.

(Fonte: theplaylist)




Os Sonhos

São relatos dos sonhos experimentados por várias pessoas. reproduzidos no site This Man. São anônimos.

Eu tenho tido esse sonho recorrente por anos. Um homem escuro e alto mostra-me um retrato e pergunta se nele, no retrato, eu consigo reconhecer meu pai. O homem no retrato é esse homem que eu nunca vi antes e que em nada se parece com meu pai. Apesar disso, inexplicavelmente eu respondo que reconhece nele o meu pai. Nesse ponto, geralmente, eu acordo me sentindo em paz. Outras vezes, o sonho continua e eu me vejo diante do túmulo de meu pai. Estou colocando flores na sepultura quando me dou conta que o retrato do meu pai desapareceu.

Eu me apaixonei por ele desde a primeira vez que o vi em meu sonho; embora deva admitir que ele é realmente feio. E a cada sonho ele me arrebata com seus gestos românticos e palavras doces. Ele me dá flores e jóias; me leva para jantar ou à praia, para ver o por do sol. [Na opinião deste tradutor, este é o sonho de uma encalhada, seja mulher ou seja um gay].

Eu costumava sonhar freqüentemente que estava voando sobre minha cidade e observando meus amigos lá do alto, Mas desde que mudei para uma casa nova comecei a encontrar esse homem enquanto voava. Ele voa comigo mas nunca fala nada.

A primeira vez que sonhei com esse homem, eu estava tendo problemas no trabalho. No sonho eu estava perdido em um shopping center completamente deserto. De repente esse homem apareceu e eu comecei a fugir dele. Ele me perseguiu por um tempo que me pareceu ser uma hora até que me encurralou em uma área infantil de um supermercado. Então, ele sorriu para mim e apontou os caixas da loja. Neste ponto, acordei. Desde esta noite ele tem aparecido em meus sonhos e sempre me mostra direções antes do meu despertar. [Aqui, este tradutor acha que esse homem está sugerindo que sonhador vire assaltante de supermercados.]

Eu nunca tive relações homossexuais; nem mesmo em fantasias [opa!] Mas eu sonho que estou transando [tendo relações sexuais] com esse homem [!]. Tenho de admitir que This Mané muito criativo e que ele me agrada. Muitas vezes, quando acordo, descubro que tive uma ejaculação enquanto dormia [fala sério!!! Obviamente, o sonhador non saiu de armário. Meditemos...].

Eu vi Esse Homem em meu sonho vestido de Santa Klaus [Papai Noel!]. Quando ele apareceu eu me senti feliz como uma garotinha. Ele sorriu para mim e, então sua cabeça foi se transformando em um balão e flutuava no ar sobre mim. Eu tentei pegar o balão mas ele sempre me escapava.

(Fonte: moblog)


Sonhei com Esse Homem quando estava no 10º ano [do colégio]. Ele não aparece de forma recorrente. Mas somente em um; um sonho memorável e terrível. Eu estava preso em uma sala sentado em um banquinho. Um pouco a minha frente, tinha uma televisão. Então apareceram dois homens que eu nunca vi antes e que não eram, nenhum deles, Esse Homem. Ambos me atacaram. Acordei, gritando, todo suado, chorando. Porém, de algum modo, voltei a dormir e me vi de volta à sala. Comecei a chorar e a gritar. A televisão estava lá e foi então que Esse Homem apareceu na tela. Ao vê-lo, pedi a ele que não me fizesse mal. Seu rosto era inexpressivo e ele nada dizia. Ele cortou minha garganta e aí eu acordei. Acho que ele me permitiu sair do pesadelo. Pensei nele durante semanas e fiz alguns desenhos do seu rosto.

No meu sonho Esse Homem estava no meu espelho olhando para mim. Não disse nada e usava óculos. Não se moveu, era como uma estátua.

This Man Brasileiro! Eu sonhei com esse homem. Era brasileiro e muito bonito. Parecia um professor. Tinha seis dedos em sua mão direita e disse que se acontecesse uma catástrofe nuclear nos Estados Unidos: Vão para o Norte. [Como lacaio de ocultista eu pressente: a sonhadora era Madonna e Esse Homem é um híbrido de Jesus, o modelo affair da cantora, com o bispo Edir Macedo. Meditemos...]

Eu vi Esse Homem em três sonhos diferentes. Ele apareceu um pouco diferente do retrato [que circula na internet e nas paredes e postes de cidades do mundo todo]; mas eu o reconheci imediatamente. Apareceu de repente e desapareceu do mesmo jeito. Disse a mesma coisa nos três sonhos: Tudo está acabado. Repetiu isso três vezes nos três sonhos.

sexta-feira, 20 de maio de 2011

Educação para a Morte – Uma propaganda anti-nazista de Walt Disney

No dia 15 de janeiro de 1943 foi originalmente lançado pela RKO Pictures, nos cinemas estado-unidenses, um curta-metragem de animação, produzido pelos Estúdios Disney: Education for Death (em português: Educação para a morte).Foi dirigido pelo ítalo-americano Clyde Geronimi e é baseado no livro Education for Death: The Making of the Nazi (Educação para a morte: a construção dos nazistas) de Gregor Ziemer. A capa do livro aparece no início do curta.

(Fonte: en.wikipedia)

O curta-metragem acompanha a história de Hans, um garoto alemão, desde seu nascimento. É mostrado como Hans é influenciado na escola a pensar de acordo com a doutrina nazista. O filme possui diálogos em alemão, mas os fatos mais importantes são narrados em inglês.
No início do filme, os pais de Hans estão diante um oficial nazista para garantir-lhe uma certidão de nascimento. O narrador explica que os pais de Hans são obrigados a mostrar certidões de seus ancestrais a fim de provar que pertencem à raça ariana. Logo em seguida, diz que o casal quer que seu filho se chame Hans; o que é aceitável, pois "Hans" não faz parte da lista de nomes proibidos pelo governo - ou seja, os de origem judaica. Também explica que o casal tem direito a ter mais onze filhos além de Hans, e conclui que é por causa do exército ariano que o chanceler Adolf Hitler anseia formar. Por seus serviços prestados ao III Reich (gerarem uma criança ariana), os pais de Hans recebem de presente uma cópia de Mein Kampf, best-seller da Alemanha no momento.

(Fonte: weaselmouseonmarketing)

Hans vai para a escola e lá aprende o conto da Bela Adormecida. No entanto, a versão que Hans aprende mostra a "democracia" como sendo a bruxa e a "Alemanha" como sendo a bela. Hitler é o príncipe que salva a Bela das garras da bruxa. Subitamente, Hans adoece e um oficial nazista vai até a casa de seus pais lembrar-lhes que pessoas doentes não são vistas com bons olhos pelo Estado nazista e que, caso Hans não melhore, será levado a um campo de concentração. No entanto, Hans se recupera e volta à escola. Lá, aprende o conceito darwinista de seleção natural das espécies de forma manipulada; os povos denominados pelo professor de mais fracos merecem ser eliminados.

(Fonte: cineclubecovilha)

Hans se junta à juventude Hitlerista e participa da queima de livros cheio de orgulho. Em uma sequência de cenas carregadas de significação, a Bíblia Sagrada se transforma no Mein Kampf, o crucifixo numa espada cortada pela suástica e o vitral de uma igreja é brutalmente quebrado. A cena, assim como aquela da queima de livros, pode ser interpretada como a perda de valores morais tanto por parte da Alemanha quanto por parte de Hans. No final do filme, é mostrado como a vida de Hans daquele momento para frente se resumiu em marchar e saudar Hitler. Hans e seus companheiros de arma marcham e saudam desde a adolescência até se transformarem em túmulos de cemitério. E o narrador conclui que a educação dada na Alemanha nazista é a "educação para a morte".

(Fonte: get-the-skinny)

No dia 18 de maio de 2004 foi re-lançado foi re-lançado pela Disney em DVD na coleção Disney Treasures: On The Front Lines. Foi a primeira vez, desde 1943, que a Disney relança o polêmico desenho.


(Fonte: wikipedia)

segunda-feira, 16 de maio de 2011

Explosão de teias de aranhas nas árvores do Paquistão

Em julho do ano passado algumas enchentes que se sucederam em regiões do Paquistão deixaram um quinto do país debaixo d'água, dizimaram cerca de 2.000 pessoas e também trouxeram um fenômeno bastante incomum. Uma grande população de aranhas resolveram se abrigar em árvores durante esse período, porém, o fator curioso é que esses bichinhos fizeram um verdadeiro cobertor de teias sobres as árvores. Devido à inundação provocada pelas enchentes e ao fato de que o nível da água levou muitos meses para baixar, diversas árvores ficaram completamente envoltas em teias de aranha.



(Fonte: bocaberta)

Milhões de aranhas subiram nas árvores em busca de refúgio e envolveram-nas quase completamente, num emaranhado de teias que produziram um visual belo e assustador. Os ramos das folhas ficaram encapsulados em teias dando uma aparência bastante fantasmagórica às árvores que passaram a ser chamadas por alguns como árvores fantasmas.



(Fonte: dailymail)




(Fonte: bocaberta)

Foi a primeira vez que a população desta parte da província de Sindh, próximo a Karachi, havia visto este fenômeno, segundo relatos feitos ao Departamento para o Desenvolvimento Internacional do governo britânico.



(Fonte: bocaberta)



(Fonte: bocaberta)
          
O estranho fenômeno também trouxe outro fator interessante: os moradores das regiões atingidas pelas enchentes afirmaram que depois que as árvores ficaram cobertas de teias a quantidade de mosquistos, transmissores de malária, diminuíram consideravelmente. Muitos acreditam que esses mosquitos tenham ficado presos nas teias, o que, consequentemente, reduziria  o risco da população local contrair malária, fator que seria positivo para os moradores da província de Sindh que já enfrentaram muitos problemas por conta da convivência com esses mosquitos.


(Fonte: bocaberta)
 

(Fonte: bocaberta)
 

sexta-feira, 13 de maio de 2011

Nibiru, o 12º planeta do Sistema Solar – Parte III – Evidências da Existência do Planeta X

Evidências astronômicas
A prova definitiva da veracidade acerca da tradição suméria seria o reconhecimento científico de um décimo planeta (ou 12º astro) no sistema solar, ou seja, a "descoberta" de Nibiru com tamanho, órbita e outras características descritas nos registros da Mesopotâmia.
Plutão foi descoberto em 1930 e Caronte, sua lua, em 1978. A análise de Plutão mostra que determinadas peculiaridades da órbita dele e também das órbitas de Urano e Netuno somente podem ser explicadas pela existência de um planeta desconhecido que deve ser bem maior que Plutão e, mesmo, a Terra.


IRAS (Fonte: coolcosmos)
Entre 1983 e 1984, observações sobre um suposto décimo planeta foram produzidas pelo IRAS - Infrared Astronomical Satellite. Em 1992, novas descobertas foram publicizadas sobre um planeta a mais no sistema, denominado "Intruder - "Planeta Intruso". Os cientistas começaram, então, a confrontar os dados da astronomia com as traduções de Zecharia Sitchin, em especial, a tradução do documento Enuma Elish, que contém a história da formação deste sistema solar. São anais muito antigos que falam de um planeta do tamanho de Urano chamado Tiamat, cuja órbita passa entre Marte e Júpiter.
O grande planeta Nibiru foi capturado pela força gravitacional do sistema solar e sua entrada no conjunto causou anomalias nas luas dos outros planetas. Nibiru colidiu com Tiamat e enormes fragmentos entraram na órbita da Terra. Um desses fragmentos veio a ser a Lua.

(Fonte: rosaleonor)

O interesse de antigos e contemporâneos por Nibiru decorre de uma questão muito prática. Os relatos arqueológicos são claros: a passagem deste planeta a cada 3 mil e 600 anos nas proximidades da Terra produz efeitos sensíveis na realidade ambiental; catástrofes são desencadeadas.
A passagem de Nibiru é, possivelmente, a causa da mudança nos pólos da Terra, dos regimes das marés, dos padrões climáticos, dos desvios da órbita e choque com asteróides que são arrastados pelo "intruso". Nibiru pode ter provocado, por exemplo, a extinção da vida em Marte ou o fim da época dos dinossauros.


Tiamat (Fonte: paleoastronauta)
Tiamat – O passado do planeta Terra
Segundo algumas linhas de pensamento, há 500 mil anos atrás o planeta Terra não se chamava "Terra". O nome "Terra", do grego gaia, é uma inovação recente. Seu nome mais antigo é Tiamat. Era um lugar completamente diferente do que é hoje e localizava-se no espaço em outra posição, mais distante do sol, entre Marte e Júpiter. Marte, que ficava mais perto do sol era, então, completamente habitável, com um clima temperado e água abundante em estado líquido. Este fato, embora não divulgado, já foi amplamente verificado pela NASA e outros grupos científicos.
Tiamat estava vinculada à estrela Sírius (ou Sothis, como a chamavam os antigos egípcios). O sistema planetário de Sírios e o sistema da estrela chamada de Sol eram parte de um mesmo e único sistema maior, parte de uma unidade cósmica. Os dois sistemas ainda são gravitacionalmente conexos com um terceiro sistema, outro fato que começa a ganhar espaço nos meios científicos.
O "Sistema Regional de Sírius" evoluciona em torno de um sol central chamado Alcyone, estrela situada na constelação das Pleiades ou "Quadrante das Pleiades". O conjunto Sol-Sírius-Alcyone descreve uma órbita ao redor do centro da galáxia (Via Láctea) em direção do grau 26º Sagitário. Todo o movimento orbital do mega sistema tem uma duração de 200 milhões de anos. Este grande ciclo deve completar uma revolução em 21 de dezembro de 2012, data prevista pelos maias para a deflagração de uma catástrofe mundial apocalíptica que para outros será uma grande transformação no caminho da ascensão, da Luz.

Evidências tecnológicas
Há muito tempo escavações arqueológicas têm trazido à luz artefatos, ferramentas, máquinas e registros que surpreendem, pelo seu avanço, as expectativas dos estudiosos. São objetos inexplicáveis para a ciência histórica acadêmica. No deserto do Iraque foram encontrados baterias de argila com eletrodos datados em 2 mil e 500 anos antes de Cristo; em uma pirâmide funerária, havia um modelo de aeroplano perfeitamente funcional.


Antiga bateria de argila encontra no Iraque (Fonte: verdade.nitlink)
Mais recentemente, a redescoberta de ouro monoatômico em sítios arqueológicos do Oriente Médio veio reforçar a crença em civilizações do passado altamente sofisticadas. As substâncias monoatômicas são supercondutoras de energia em temperatura ambiente e possuem propriedades antigravitacionais. Somente nos últimos anos o ouro monoatômico tem sido investigado pela física. Arqueologicamente, entretanto, o ouro monoatômico mesopotâmico é conhecido desde 1889, quando sir Flinders Petrie demonstrou que o material era produzido há 3 mil anos atrás.


Ouro monoatômico (Fonte: emule)

Evidências documentais
O registro histórico documentado da existência e das realizações dos Anunnaki começou a aparecer desde os primeiros anos do século XIX. As escavações de antigos sítios arqueológicos mesopotâmicos revelaram uma avançada civilização Suméria. Milhares de lâminas de argila contêm escrituras relacionadas não somente com as questões do cotidiano, como o comércio, os casamentos, as ações militares e sistema de cálculos astronômicos; as tábuas cuneiformes também falam dos Anunnaki.


Escrita cuneiforme feita pelos sumérios (Fonte: tecendoasabedoria)

Fica evidente que os sumérios sabiam perfeitamente que aqueles aliens eram criaturas vivas, de "carne e osso". A Biblioteca de Assurbanipal, apesar de ter sofrido um incêndio, não perdeu nada de seus documentos feitos de argila, resistente ao fogo. Assim, foram preservadas 400 tabuletas cuneiformes que contém a história dos tempos arcaicos, sem falhas; uma espécie de "cápsula do tempo" feita de barro cozido. São estes documentos que contam a saga dos Anunnaki.
Evidências genéticas


Lucy (Fonte: corvuxcorvux)
Os registros sumérios localizam o laboratório, onde os Anunnaki criaram o homo sapiens na região leste da África Central, próximo às minas de ouro. É uma área que coincide com o lugar onde foi encontrado o mais antigo DNA mitocondrial, pertencente ao fóssil que ficou conhecido como Lucy. Os arqueólogos também encontraram ruínas de minas de ouro de 100 mil anos. Os documentos descrevem, ainda, o avanço da engenharia genética. O rápido progresso da espécie humana sapiens, que chega a Marte apenas 250 mil anos depois de começar a realmente "sair das cavernas" é notavelmente anômalo diante dos milhões de anos que foram necessários para consolidar os membros mais antigos do nicho dos homo erectus.


            Nibiru, o 12º planeta do Sistema Solar – Parte I


            Nibiru, o 12º Planeta do Sistema Solar – Parte II – A história da humanidade segundo os Anunnakis



Nibiru, o 12º Planeta do Sistema Solar – Parte II – A história da humanidade segundo os Anunnakis

Para o astrônomo do Observatório Nacional, Carlos Henrique Veiga, é possível que existam planetas ainda desconhecidos no Sistema Solar. Poderiam ter, inclusive, características semelhantes àquelas atribuídas a Nibiru, como um período muito longo e uma órbita extremamente elíptica. "Entretanto as órbitas de planetas não se sobrepõem umas às outras. Esse cruzamento só ocorre com cometas e asteróides." Quanto à segunda possibilidade, a de que Nibiru fosse uma estrela se escondendo nas vizinhanças, Veiga diz que sua presença causaria uma alteração na dinâmica do Sistema Solar. "Tanto ela quanto o Sol teriam que girar ao redor de um centro de massa. Os planetas girariam em torno das duas ou desse novo ponto central. Não é isso que estamos vendo", afirma.


A chegada dos Annunakis (Fonte: sunnation.wordpress)

Um outro ponto de vista sugere que, em 21/12/2012, o Sol, ao nascer, poderia se alinhar com o plano da Via-Láctea. Nessa posição, receberia algum tipo de irradiação misteriosa vinda do centro da galáxia. Tal informação, porém, é contestada até por autores de livros populares sobre 2012, como o astrônomo John Major Jenkins. A  verdade é que o Sol está cruzando o plano da nossa galáxia, mas isso não é motivo para preocupação. "O centro da Via-Láctea está a quase 30 mil anos-luz de distância. Por isso, esse posicionamento não deverá trazer maiores conseqüências. No máximo, pode favorecer a atração de cometas e asteróides em direção ao Sol", diz Veiga.
A NASA, por sua vez, localizou um maciço e negro objeto cósmico nos céus do hemisfério sul, fato que pode justificar a recente reativação de telescópios na Argentina e no Chile. O pesquisador Zecharia Sitchin, que visitou vários observatórios astronômicos da antigüidade, constatou que todos privilegiavam a visão do quadrante sul e também estavam localizados na mesma latitude da Terra.

Desenhos antigos mostrando um híbrido de Annunaki com uma humana (Fonte: wolflodge)

É provável que esse notável interesse pelo céu tenha sido motivado pela expectativa de um retorno dos Anunnakis que foram, no passado, considerados criadores e instrutores da raça humana.
Anunnaki, na língua suméria, significa "Aqueles que desceram dos céus". Para os hebreus eram Nefilins, Elohins; em egípcio, Neter. Nos últimos duzentos anos, descobertas arqueológicas e artefatos recolhidos foram o fundamentais para a consolidação da teoria de que uma avançada civilização proveniente de um planeta distante, porém pertencente ao sistema solar do qual a Terra faz parte, chegou ao golfo Pérsico à cerca de 432 mil anos atrás; eram os Anunnaki. Os visitantes estelares colonizaram a Terra com o propósito de obter grandes quantidades de ouro. Sua mão-de-obra foi arrebanhada entre os humanos primitivos, que foram manipulados geneticamente.

Relação de povos antigos com um Annunaki (Fonte: haarraum)

Há 250 mil anos, o sistema de colonização alienígena começou a decair; os operários das minas (terráqueos) começaram a se rebelar contra as condições de trabalho e os Anunnaki, então, decidiram criar um ser que pudesse substituir os humanos primitivos. O experimento de engenharia genética teve de ser refeito. Enki, cientista genético e Ninhursag, chefe de medicina, criaram híbridos usando material do homo erectus, de animais e dos próprios Anunnaki. Esta idéia foi usada no recente filme Avatar. O resultado foi o homo sapiens, que veio ao mundo para ser escravo! Os primeiros homens, sendo híbridos, não se reproduziam. Novos ajustes foram feitos e, assim, a espécie pôde procriar.


Suposta atuação dos Annunakis na história da humanidade (Fonte: hubpages)

Quando os sapiens tornaram-se muito numerosos, parte deles era expulsa das cidades Anunnaki e, assim, gradualmente espalharam-se no planeta. Mas as criaturas surpreenderam os criadores: eram belos e se desenvolviam muito bem. Algumas fêmeas começaram a servir de parceiras sexuais para os colonizadores. Essas uniões eram férteis, produziam prole. Era uma situação inaceitável para a maioria dos Anunnaki que decidiram exterminar a população colonizada - a humanidade - provocando uma colossal inundação em época próxima à reentrada de Nibiru nas proximidades da órbita da terra. Esse dilúvio aconteceu há cerca de 12 mil anos atrás.
Muitos humanos foram salvos por Enki, que simpatizava com aqueles que ele mesmo havia criado. Por milhares de anos, homens e mulheres foram escravos e soldados. Os Anunnaki usavam seus servos nas guerras que travavam entre si, na construção de palácios e cidades, em instalações astronômicas situadas em todos os continentes. Eles ocuparam não somente a Mesopotâmia, mas também o Egito, a Índia, as Américas. Por isso os sinais de sua presença são encontrados em todo o mundo.

(Fonte: larcosmico)
Seis mil anos depois do dilúvio, os Anunnaki que aqui permaneceram resolveram que era hora de deixar o planeta e, gradualmente, conduziram a raça humana à independência, introduzindo um sistema sócio-político fortemente hierarquizado. Linhagens de reis foram estabelecidas, possivelmente considerando a descendência dos Anunnaki: eram os "Iniciados", versados em ciências como matemática e astronomia, conhecedores de técnicas de medicina, arquitetura e engenharia. Dinastias cuja continuidade era feita por meio de "colégios" - os "colégios dos mistérios".
Na terceira parte desse artigo apresentarei evidências acerca da tradição suméria e da suposta existência do Planeta X.


            Nibiru, o 12º planeta do Sistema Solar – Parte I


            Nibiru, o 12º planeta do Sistema Solar – Parte III – Evidências da Existência do Planeta X

quarta-feira, 11 de maio de 2011

Nibiru, o 12º planeta do Sistema Solar – Parte I

Na época dos sumérios, o sistema solar era descrito como um conjunto de 12 corpos celestes. Na linguagem zodiacal, estes astros eram chamados de "planetas", embora, entre eles, os antigos incluíssem a Lua e o Sol. Isso evidenciava que os mesopotâmicos, além de possúirem um inexplicável conhecimento astronômico,  também afirmavam a existência de planetas que somente a ciência contemporânea pôde reconhecer, o Urano, em 1781, o Netuno, em 1846, o longíquo Plutão, em 1930, e o atualmente desconhecido, porém procurado, 12º planeta, este que os sumérios denominavam Nibiru. Ora, se os sumérios, há 6 mil anos, estavam corretos em relação aos nove planetas reconhecidos hoje porque não poderiam estar, igualmente corretos, em relação a Nibiru?


(Fonte: illuminati-news)

Segundo os sumérios, o Nibiru seria um planeta habitado por um povo conhecido como "raça dos deuses". Tal raça teria visitado nosso planeta no passado e influenciado decisivamente a cultura humana. Por essa razão, alguns artefatos como as tabuletas cuneiformes de pedra e argila encontradas no Iraque fazem uma clara referência a um planeta desconhecido de onde teriam vindo viajantes do espaço cósmico. Esses visitantes eram conhecidos como Anunnaki e eram considerados deuses. Possuíam "servos" que não eram seres vivos, mas agiam como se fossem.
A avançada tecnologia de povos antigos como os sumérios seria a prova da herança do contato de terrestres com habitantes de Nibiru. O sistema matemático e o calendário usados pelos sumérios que possuíam a cultura mais antiga do Ocidente, continuam atuais, por exemplo.


(Fonte: macedoniaonline)

Os estudos acerca do Nibiru ficaram popularmente conhecidos graças ao linguista e perito em escrita cuneiforme e outras linguagens antigas, Zecharia Sitchin, que começou a divulgar suas idéias acerca da origem da Terra, inspiradas, segundo ele, na decifração de antigos textos babilônicos. Ele publicou em 1976 o The Tewlfht Planet que foi o seu pontapé inicial na transformação da pesquisa da história antiga. Em 1993, lançou seu sexto livro, parte da série de Earth Chronicles (Crônicas da Terra) - When Time Began. Este último livro fala das relações entre o complexo calendário de Stonehenge, as ruínas de Tiahuanacu, no Peru, a antiga cultura suméria e, por extensão, a conexão desses monumentos antigos com os Anunnaki. . Sitchin ainda defende os Anunnaki como seres humanóides que habitam o Nibiru, e não apenas como criações fantásticas e alegóricas dos sumérios. A partir daí surge a primeira menção a uma gigantesca cruz cósmica, desenhada pelas órbitas dos planetas do Sistema Solar na eclíptica e pela órbita, muito alongada, de Nibiru que também orbita o Sol, porém, em outra direção e com outro período orbital. Além das traduções de textos sumérios, Sitchin também se baseia nas escrituras védicas (indianas) e nos textos originais da Bíblia, escritos em grego e hebraico.


(Fonte: ufodigest)

Do ponto de vista científico, muitos astrônomos ainda estão procurando por este misterioso planeta nos confins do espaço. Não só tais astrônomos como a própria NASA também está envolvidas em pesquisas sobre o Nibiru, que por eles é chamado de Planeta X. Mas a verdade é que aquilo que foi observado há milhares de anos atrás não é mais visto nos céus contemporâneos. Isso poderia ser explicado pelo fato da  órbita do 10º planeta (12º astro dos sumérios) ser uma elíptica extremamente alongada. Durante milênios, o globo se mantém longe do Sol e da vista dos terráqueos, muito além da órbita de Plutão.
O planeta X, também sugerido como uma estrela, passaria próximo ao Sol a cada 3.600 anos. Sitchin afirma que, em uma dessas passagens, uma colisão entre um de seus satélites e um planetóide que existia entre Marte e Júpiter teria dado origem à Terra. Já outros autores passaram a usar as idéias de Sitchin apenas na década de 90. Eles dizem que Nibiru vai passar perto de nosso planeta em 2012, e a atração gravitacional entre os dois resultará em dilúvios e terremotos. Esta é uma das principais teorias acerca das profecias maias. Além disso, quando o Nibiru chegar próximo ao periélio poderão ocorrer fenômenos elétricos bastante violentos (relâmpagos cósmicos) entre ele e a Terra. Tais especulações seriam baseadas na maneira como estão se comportando os planetas de nosso Sistema Solar e o Sol.


(Fonte: users.bart)

Outras características do Planeta X incluem seu periélio de 2,850AU (a unidade astronômica AU é a distância média entre a Terra e o Sol e corresponde a cerca de 150 milhões de quilômetros). Como Marte está a 1,52 AU do Sol, o ponto em que o Planeta X estará mais próximo do Sol cairá entre as órbitas de Marte e Júpiter, a cerca de 427 milhões de quilômetros. O Nibiru ainda possui um afelio de 475,000AU. Plutão, por exemplo, está a 39,5AU, logo a distância alcançada pelo Nibiru seria de aproximadamente 12 vezes a distância de Plutão ao Sol. Isto significa que esse planeta gasta a maior parte do tempo na região chamada de cinturão de Kuiper, muito além da órbita de Plutão. O Nibiru possui uma inclinação da órbita quase perpendicular ao plano da eclíptica, ou seja, ele não se encontra na região onde cerca de 90% dos objetos observados transitam por áreas das constelações do zodíaco, logo por estar mais na direção sul, isso explicaria porquê ele ainda não foi detectado.


(Fonte: 2012codex)

Muitos acreditam que o satélite astronômico infravermelho (IRAS) tenha detectado o Planeta X já em 1983 como um planeta maior do que Júpiter, ao sul da Constelação de Sagitário, com uma temperatura de 240 Kelvin. Em abril de 2006, a YOWUSA.COM revelou a estória do telescópio do Pólo Sul. Hoje em dia há especulações de que, em 2012, o Nibiru aparecerá como um segundo Sol, no céu.


            Nibiru, o 12º Planeta do Sistema Solar – Parte II – A história da humanidade segundo os Anunnakis


            Nibiru, o 12º planeta do Sistema Solar – Parte III – Evidências da Existência do Planeta X

segunda-feira, 9 de maio de 2011

Papel eletrônico - uma nova etapa no ramo dos computadores flexíveis

Muitos dizem que num futuro não muito distante o papel deixará de existir, devido ao avanço tecnológico que vem trazendo num curto espaço de tempo uma infinidade de novidades. Uma dessas novidades é o PaperPhone, criado por Roel Vertegaal, que garante que sua invenção representa o futuro e poderá substituir outros telemóveis num período de 5 a 10 anos.


(Fonte: sempretops)

A tecnologia utilizada para tal feito é mais conhecida como papel eletrônico e foi com ela que Vertegaal e seus colegas da Universidade Queens, na Grã-Bretanha, construíram um pequeno computador, com funções semelhantes à de um smarphone, podendo fazer chamadas, ler documentos e aceder a ficheiros multimidia.


(Fonte: gizmodo)

O pesquisador afirma ainda que seu protótipo é melhor descrito como um iPhone flexível. O invento será apresentado durante a conferência Computer Human Interaction, em Vancouver, no Canadá, no próximo dia 10 de Maio. Segundo Vertegaal "este computador se parece, se comporta e é operado como uma pequena folha de papel interativo. Você interage com ele dobrando-o na forma de um telefone celular, inclinando seus cantos para virar as páginas, ou escrevendo sobre ele com uma caneta".


(Fonte: androidgod)

A tela possui 9,5 centímetros na diagonal - 4 polegadas - e é fruto da chamada eletrônica orgânica, feita com a tecnologia de filme fino. As primeiras telas flexíveis e de enrolar chegaram ao mercado em 2007 e embora os primeiros circuitos integrados flexíveis já estejam em testes de laboratório, eles ainda não são capazes de sustentar todo o funcionamento de um computador, ou mesmo de um smartphone.


(Fonte: freakingnews)

Por essa razão, o que o pesquisador chama de um "iPhone flexível" seria na verdade mais um protótipo que demonstra um conceito de interface, que poderia ser chamado de "navegação por dobradura", em lugar das muito mais confortáveis e responsivas telas sensíveis do toque - as opções são acionados dobrando-se a tela inteira para baixo ou para cima.


(Fonte: wingsofjustice)

Um conceito interessante, que sofre das dificuldades próprias dos protótipos - o circuito ainda não é tão flexível quanto se poderia esperar. Além disso, o aparelho está mais para um computador rígido com uma tela semi-flexível anexa.

Durante a apresentação, está programada também a demonstração de um "computador semelhante a um relógio de pulso", segundo Vertegaal, chamado Snaplet.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...